PESQUISAR NESTE BLOG


QUADRO DE LEITURA


A INFLUÊNCIA DOS MINISTROS EVANGÉLICOS NO CENÁRIO MUNDIAL


  
Norman Vincent Peale (1898-1993- recolhido aos 95 anos) foi um pastor e escritor americano que defendia os valores da família - apesar dos muitos contratempos vivenciados por seu ministério - (Conta-se que seu livro mais importante teve o título alterado pela editora na véspera do lançamento como estratégia comercial. "O poder do pensamento positivo" tornou-se um sucesso de vendas e foi enquadrado na categoria de autoajuda - algo visto com reservas pela comunidade cristã) - O ministro foi também pastor de Donald Trump, o atual presidente dos Estados Unidos.

Dentre os seus conselhos mais famosos há um que sem sombra de dúvidas resolveria metade dos problemas das dez maiores denominações evangélicas brasileiras: "O mal de quase todos nós é que preferimos ser arruinados pelo elogio a ser salvos pela crítica."

Creio que a partir destas informações o caro leitor consegue entender porque o atual presidente americano anda envolvido e bastante ocupado com os interesses de Israel e da família tradicional cristã.

Conta-se também que o pastor de Barack Obama foi homem envolvido com a política e com as ideias esquerdistas, desviando-se da finalidade real do evangelho. O resultado foi sentido no futuro do governo de Obama e em seu método de preparar o caminho para o anticristo com sua agenda esquerdista mundial, aquela que mina e destrói os valores da família tradicional.

O cristão fiel possui (biblicamente falando) a obrigação de ser obediente ao seu pastor, quando ele segue o cordeiro de Deus. Glória a Deus porque temos homens fiéis a Deus ministrando em nossos púlpitos e pastoreando o rebanho de Deus. Mas a Bíblia Sagrada chama de "negócio" (mercantilismo religioso - "Farão de vós negócio" - 2 Pedro 2:3) os conglomerados religiosos, os clubes, os grêmios e as associações eclesiásticas (de natureza política ou religiosa) que não deixam os pastores exercerem o seu ministério para o qual Deus os chamou, mas transformam-nos em "ministros sem pasta" ou "vendedores de benção", atrapalhando o bom andamento das igrejas. O Cristianismo que vive de marketing não é evangelho, pode ser outra coisa.

Apesar de tudo isto que acontece ao cristianismo, podemos dizer que os ministros que exercem o seu ministério com fidelidade produzirão bons discípulos ou influenciarão a sociedade em todos os sentidos. A arvore boa se conhece pelos frutos bons. Deus tem levantado homens de boa índole em todo o mundo para influenciar a sociedade e apontar o caminho do céu aos homens.

Que eu e você sejamos os discípulos que influenciarão esta sociedade imersa na inversão de valores morais, éticos e espirituais...

Voltemos ao evangelho!!!